Política de pesquisa da PUC-SP é tema de entrevista em vídeo da reitora

Criação do Plano de Incentivo à Pesquisa (PIPEq) gerou uma espécie de miniagência de fomento

por Redação | 11/10/2019 - 00h

Há pelo menos 50 anos, a PUC-SP tem política de pesquisa, data que coincide com o surgimento da pós-graduação na Universidade.

Nos últimos cinco anos, a Universidade vem desenvolvendo uma nova e mais abrangente política de pesquisa, com a criação de uma série de linhas de fomento e apoio a professores e estudantes de graduação e de pós-graduação.

“Neste período criamos o Plano de Incentivo à Pesquisa (PIPEq), novo modelo de incentivo que gerou uma espécie de miniagência de fomento na PUC-SP”, afirma a reitora Maria Amalia Andery, no vídeo abaixo.

Na entrevista, você também poderá conhecer todos os desdobramentos da iniciativa, que já oferece diversas novas modalidades, algumas delas voltadas, inclusive, a incentivos internacionais.

“Dados do mundo todo mostram claramente que a pesquisa impacta diretamente o ensino. Quanto mais pesquisa há, melhor é a qualidade do ensino, tanto na graduação quanto na pós-graduação. Nossos próximos desafios são aumentar os recursos desta nossa miniagência, incentivar os docentes a concorrer nos editais e manter nossa capacidade crítica, para que o PIPEq esteja sempre atualizado e não se torne apenas burocrático”, defende a reitora

 

PARA PESQUISAR, DIGITE ABAIXO E TECLE ENTER.