São Paulo Apóstolo

A A
PADROEIRO
29 de Junho

Data da fundação

20/08/1982
Vigário Paroquial
Padre Joseph Dillon
Vigário Paroquial
Padre Lukasz Piotr Herkt
Pároco
Padre Antonysamy Manokarados

Setor

São Mateus

Endereço

 Miguel Ramos de Moura , 86 , Jardim IV Centenário (Zona Leste)

Contato

 (11) 2725-1398
 Atendimento da secretaria
Terça-feira
08
00
12
00
Terça-feira
13
30
17
00
Quarta-feira
08
00
12
00
Quarta-feira
13
30
17
00
Quinta-feira
08
00
12
00
Quinta-feira
13
30
17
00
Sexta-feira
08
00
12
00
Sexta-feira
13
30
17
00
Sábado
08
00
12
00
Breve história 

~~O nascimento da  Paróquia São Paulo Apóstolo  deu-se  a chegada das   Irmãs Orionitas em 1960 que construíram um orfanato e uma capela . Para dar atendimento aos fieis vinham padres de outras Paróquias, daí foi surgindo grupos como o Apostolado da Oração e Legião de Maria e havia também um pequeno grupo de jovens bem ativos.
Em 1971 com vinda de equipe de agentes  de pastoral e padres Irlandeses que eram da Congregação do Espírito Santo: Patrick Peters e Lourenço O´Brien. Iniciou-se o trabalho pastoral com os jovens e   casais e juntos  organizaram a pastoral do batismo e as finanças. As Irmãs Irlandesas da Congregação do santíssimo Rosário chegavam em 1973 e começaram a participar do clube de mães, voltado para a promoção humana e social. Eram elas  Patrícia, Gema, Teresa Dillon e Holly Chennery. Seu trabalho de dedicação a catequese, clube de mães, pastoral da saúde e grupo de jovens . O trabalho dos padres e irmãs contribuíram para a formação de leigos para assumirem seu papel. Segundo alguns registros de casamento a Comunidade São Paulo Apóstolo pertencia a Paróquia Santa Cruz- Vila Rica  até meados de 1979; sendo que a Comunidade São Paulo Apóstolo nessa época tinha uma vida bastante ativa, mas ainda não tinha local próprio para se reunir, o Sr. Chico cedeu um salão.
Neste salão passou-se a desenvolver o trabalho como o clube de mães, cursos de datilografia  e pintura, também organizou um árduo trabalho de conscientização , organização  e articulação nas lutas populares por moradia , asfalto, água , luz, posto de saúde , escola. Foi crescendo o numero de fieis  mas nem todos tinham a mesma consciência política no engajamento da fé.Prevalecia o sonho de ter uma Igreja  no bairro.Foi apresentado 03 projetos para a construção, mas grandes construções não estava no projeto pastoral de padres e religiosas irlandeses, em sintonia com a Conferencia de Medellín. Mas respeitaram a decisão da Comunidade e assim iniciou-se a construção do Prédio , e ao mesmo tempo foi nascendo as Ceb´s.
Em 1977 D. Luciano lança a pedra fundamental e daí foi escolhido o nome da Paróquia São Paulo Apóstolo, até então chamada Nossa Senhora Aparecida (já existia uma comunidade com este nome). Provavelmente em 1981 foi erigida a  Paróquia, mas há quem diga que foi em 20/08/1982.
• Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Vila Nova York teve inicio em 1972 a partir do grupo de rua, do clube de mães e da participação nos movimentos populares, em especial a saúde. Em 1979 organizou um centro de promoção humana com diversos cursos profissionalizantes e até uma pequena fabrica de blocos.A Sra. Dalva ensinava corte e costura, sob orientação das Irmãs Gema e Margareth Gaffney e dos padres espiritanos  Patrick, Geraldo e Marcos. Tambem nesta época surgiu a Comunidade São Lucas vinda dos grupos de rua e círculos bíblicos nas casas. Além da ajuda da Cúria, também alguns membros da Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Praça Silvio Romero)Alem dos missionários irlandeses este tempo foi marcado pela presença de Sr. Julio,Dona Lourdes, dona Isaura, Sr. Jose. Dona Benvinda, dona Rosa e e Sr. Heraldo. A Comunidade envolveu-se na luta pelo posto de saúde da Vila Nova York  junto com as vitimas das enchentes nas favelas do Jardim Tiete e jardim Itápolis.
• Em 1973 tem inicio a Comunidade são Jose Operário  do lar Nacional  com a luta pela população que estava sendo despejada , pois os terrenos  das casas eram grilados. Os grileiros perseguiam os moradores  e chegaram a  despejar alguns . Foi procurado o órgão publico responsável e a Igreja Católica que apoiou a Comunidade com  Irmã Patrícia e o padre Lourenço, orientando dando assistência civil e religiosa. A Comunidade reúne-se em frente das casas. Mas com a repressão militar era perigoso ficar na rua, começaram a reunir-se nas casas e um dos primeiros movimentos foi a Associação de Mulheres sob orientação Irmãs Patrícia, gema e Teresa. As mulheres encontravam-se com outros movimentos que foram surgindo na cidade de São Paulo  e, durante  o dia defendiam as casas dos moradores e a noite era os homens.Faziam caravanas ao Palácio do Governo pra reivindicar a regularização dos terrenos. O local para celebrar era a sociedade amigos de bairro, formaram um grupo de casais reunindo aos domingos coordenados pela Irmã Patrícia. Sebastiana e Consuelo foram as primeiras catequistas, surgiu o clube de mães. Comprou-se o terreno para a Construção da Igreja e D. Luciano lançou a pedra fundamental , o Sr Chiquinho trouxe a Pastoral Operaria  com arrecadação de alimentos para os desempregados  com membros desta comunidade na campanha “ cinco por dois” – Cinco famílias empregadas ajudavam duas famílias desempregadas.
• Comunidade Menino Deus –no Jardim Itápolis nasce em 1976 de um grupo que fazia preparação para as Campanha da Fraternidade, participando dos grupos de base como ser comunidade. Nesse grupo dona Elza com seu esposo, a dona Lourdes, dona Josefa, Antonio e Ivanir.Sendo que já em 1975 havia um grupo de casais coordenado pela Andrelina e Mario. Um grupo de jovens deslocou-se da Comunidade são Paulo Apóstolo para formar uma nova Comunidade dentre eles: Leide, Ligia, Luis , Nilton e Paulo Monteiro. A Comunidade tornou-se um grande espaço de união e luta para reivindicação dos moradores, apoiando os moradores da Favela do tanque vitimas de desabamento devido as enchentes, a Comunidade enfrentou perseguição. Esta comunidade participou ativamente de movimentos do custo de vida  contra a carestia, entraram na opção periferia incentivada pelo Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, e através de intercambio com a Paróquia Nossa Senhora da Conceição  no Tatuapé e em 1977 a partir da CF lançaram um projeto piloto de atendimento ao menor carente como apoio de D. Luciano Mendes de Almeida  o qual encaminhou diversos jovens pra atendimento profissionalizante no Instituto D. Bosco.
• A Comunidade Santa Maria surge da catequese ministrada pela Dona Rita que durante 04 anos como catequista no barracão em sua casa preparava e encaminhava as crianças para a Primeira Eucaristia inicialmente ao Instituto Mater Dei e posteriormente a Comunidade São Paulo Apóstolo. O inicio da construção da Capela foi sacramentada com lançamento da pedra fundamental  por D. Luciano presidindo a missa em 1979. A Comunidade contou com  atuação de agente de pastoral Regina Marchiore   ate 1986.
• Comunidade Beato Jose de Anchieta( hoje São Jose de Anchieta) – Jardim Araujo  Surgiu em 1976 misturada as lutas em prol dos flagelados das enchentes , menor, moradia  e sobretudo junto da favela do Itápolis localizada próximo ao Riacho dos Machados . Com grupos de rua nas casas, celebrações nas garagens cedidas por pequenos comerciantes de bares, pois as casas eram precárias. Marcaram o inicio desta comunidade a atuação de alguns casais:  Dona Maria e Sr Kalu;  Leli e Amaro e Andrelina e Mario que passaram a realizar trabalho voluntario com as crianças da favela , em sua casa.Pois a realidade era muito miserável  devido as constantes enchentes do Riacho  dos Machados que também trazia graves problemas de saúde em especial as crianças.Em 1979 D. Luciano participou de uma festa de natal na favela e sensibilou-se com  a luta da Comunidade por um espaço para reunir-se. Em 1983 aconteceu a aquisição do terreno com uma casa precária, antiga olaria. Aos poucos compraram outra parte do terreno e  o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto ajudou na construção do centro comunitário. Teve início o projeto do Menor em convenio com  a prefeitura que continua até hoje.
• Comunidade D. Oscar Romero no Jardim Marina nasceu em 1978 do desmembramento da Comunidade Nossa Senhora Aparecida, mas já desde 1977 havia um grupo de casais que se reuniam discutiam a vida e encerravam encontro com  a liturgia. Inicio dos grupos de rua animada pela agente de pastoral  Aidê  Lopes Lima  e tambem Chiquinho ; se reunindo nas casa e rezando o terço , encontros da CF  e novena de natal. Na casa de dona Armanda discutia o problema de suas casas num terreno da Eletropaulo. Celebravam na garagem do Tico e em 1983 ganharam terreno da Cúria e inicia a construção
• Comunidade Imaculada Conceição e Pe. João Bosco Burnier no Jardim São Jose começou em 1979 com um grupo de senhoras que pensavam como conseguir uma igreja mais próxima, ai discutiam os problemas do Brasil e rezavam o terço se reunindo em casas. Celebraram a primeira missa num salão comercial, mas logo conseguiram emprestado um terreno  e este mesmo foi comprado pela Cúria Metropolitana. Esta Comunidade atuou junto aos favelados da beira Córrego Aricanduva
• Comunidade Nossa Senhora da Paz também teve inicio em 1979 com um grupo de rua de pessoas. A partir da Novena de natal, Campanha da Fraternidade, catequese familiar. A Sra Eugenia ofereceu o barracão onde morava e ali foi possível realizar as celebrações. Organizou-se a catequese, o clube de mães e o primeiro grupo de jovens, que recebeu o Crisma das mãos de D. Luciano.
• Comunidade Moises Libertador nasceu em 1979. Começaram a reunir-se nas casas para novena de natal, junto com as Irmãs Patrícia e Gema.  Marcaram com sua atuação na comunidade : Moyses, Luiz e dona Julia  com seus filhos, Leonora, Catarina, dona Benedita dona Eva e família,Maria Dirce e Eduvaldo, duas famílias de mineiros, com João e Geraldo e Maria Jose. A primeira missa foi final de 1980, no quintal de Geraldo mineiro . O nome do padroeiro foi com a presença de D. Luciano que ajudou a compra do terreno , contaram com apoio de Andrelina Quinto, Irmã Celina Paraíso  e  o Pe. Pedro Luiz Stringhini. O terreno da Comunidade foi comprado e iniciou-se a construção em mutirão e muitos colocaram seu oficio em prol da Comunidade. Nesta época eram agentes de pastoral leiga a Sueli de Fátima e Regina Marchiori.
• Mais uma Comunidade surgiu em 1979 – a Comunidade João XXIII quando no mês de maio algumas mães se deslocaram da Paróquia Santa Cruz para inscrever os filhos na catequese e através da catequese familiar  e escolheram como  lideranças Maria Rosa e Emilda.As celebrações eram feitas nas casas , quintais e garagens. Em 1984 compraram o terreno com o apoio da Cúria Metropolitana . Através de promoções  diversas arrecadaram dinheiro em mutirão iniciou-se a construção centro comunitário
• Em 2005 a Comunidade Nossa Senhora Aparecida foi erigida Paróquia
• NÃO É POSSÍVEL FALAR DA PARÓQUIA SEM LEMBRAR A HISTORIA DAS SUAS COMUNIDADES

SÃO PAULO, 16 DE DEZEMBRO DE 2014-12-16
ORANDINA RIBEIRO MARQUES
SECRETÁRIA PAROQUIAL

“ Este relato foi feito baseado no livro  - Igreja em Mutirão  - Comunidades de Base do setor São Mateus - 1999

Paróquia a qual faz parte 
Paróquia São Paulo Apóstolo
Lugar - VF - Categoria e Nome 
Matriz Paroquial São Paulo Apóstolo

Missas

Quinta-feira
19
30
Sexta-feira
08
00
Domingo
09
30
Domingo
19
00

Sacramentos

Batizados

Informações na Secretaria

Confissões

Agendar na secretaria